domingo, 26 de julho de 2009

NOVO BLOG

Galera, o Baheaminhaporra mudou. Em breve estaremos desativando este blog.

Pra ver o novo BBMP, acesse qualquer um dos endereços abaixo:

www.bbmp.ecbahia.com

www.baheaminhaporra.com
www.baheaminhaporra.com.br
www.bbmp.com.br

sábado, 25 de julho de 2009

Deixei minha marca na camisa tricolor. Dei sorte pro Bahêa.

A torcida merecia essa vitória.

Ignorou o "Público Zero" e fez uma festa linda em Pituaço. Pena que o time não está à mesma altura da massa tricolor.

Cá pra nós? o Vasco (que não é lá essa "coca-cola" toda) jogou melhor a partida de hoje. Marcou sob pressão e dificultava a saída de bola do Bahia, que não conseguia acertar uma série de 4 passes.
Dá pra perceber que o nosso time é muito raçudo. Mas infelizmente, é lento e não tem bom toque de bola.

O primeiro tempo foi cheio de faltas, muita vontade e poucas chances de gol.
Logo no início do segundo tempo, o Vasquinho marcou primeiro, num gol contra de Rogério. Aposto que metade da torcida tricolor deve ter pensado: já era.

Só que hoje o Bahia não podia perder.

Mesmo tomando pressão com bola na trave. Mesmo com Evaldo salvando um gol quase certo do Vasco em cima da linha. Mesmo com um jogador a menos após a expulsão de Leandro.

Hoje não.

E sabe porque? porque eu deixei minha marca na camisa tricolor. E eu sou um cara pé quente pra cacete.
Hoje o Bahia entrou em campo com a marca de um empreendimento da Oas Gafisa da qual fiz parte na criação da campanha.
Aquela marca que você viu no meio do nosso manto sagrado é minha, papá.
E vou lhe dizer... me deu um orgulho da zorra ver uma criação minha na camisa tricolor.

Tenho certeza que foi minha marca que deu sorte pra gente hoje.

Tudo bem, tudo bem. O Nen também ajudou pra caramba.

Acho que uma boa tática para o Bahia seria ir pro ataque e começar a dar chutão nos zagueiros pra conseguir escanteio. O negão é muito bom nessa jogada. Aliás, o Bahia é ótimo nessa jogada. Seria interessante vermos quantos gols foram marcados durante o ano após lances de escanteio do Bahia.

E Nadson? o que vocês acharam dele?
Não dá pra tirar muitas conclusões, afinal, o cara entrou na metade pro final do segundo tempo. Mas pelo pouco que vi, com ele em forma, acho que pode ser uma excelente opção de ataque.

Marcelo, pra variar, um paredão. Teve um momento que ele quase foi traído pelo cique da bola, mas de resto, foi como de costume. Grandes defesas. Evitou um gol quase certo do atacante Elton, do Vasco.
Marcos voltou a jogar direitinho. E também gostei de Menezes, que mostrou personalidade em algumas arrancadas "a la" Lúcio (ehehehe). Alex Maranhão não comprometeu improvisado na lateral esquerda.

Agora é esperar a arrancada do Bahia no campeonato. E esperar que os novos contratados realmente venham pra elevar o nível do time. A meiuca é definitivamente o setor mais preocupante. Com Ananias, não dá.

Ainda bem que a marca do CityPark vai ficar estampada na camisa nos próximos 3 jogos aqui em Salvador... são mais 9 pontos garantidos. :)

Próximo jogo é contra os Juventubbies. Brocança neles. Estamos apenas a 4 pontos do G4. A hora é essa.

E hoje eu tô tão feliz que vou até fazer um merchan de graça pra oasGafisa. Tome o link do mais novo empreendimento de Brotas: http://www.cityparkbrotas.com.br

É isso, galera. Vamos celebrar, pois esse foi um jogo importante pro tricolor. E a gente brocou o bacalhau em banda.

E quem acompanha o Twitter do Baheaminhaporra com Bolota, tá ligado que o gordo teve uma premonição. O sacana acertou o placar certinho do jogo!!


Clique na imagem para ampliar

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Bahêa no Speaker's Corner


“O Speaker's Corner (Recanto do Orador) é um local localizado (sic) no nordeste do Hyde Park, em Londres, Reino Unido. No Speaker's Corner qualquer cidadão pode fazer discursos criticando qualquer um, com exceção da Família Real e do governo inglês, sem temer problemas legais. O Speaker's Corner já foi palco de discursos de integrantes do partido socialista britânico. O alemão Karl Marx havia discursado no Speaker's Corner. As autoridades britânicas reprimiram diversas vezes discursos no Speaker's Corner durante o século XIX. Mas em 1872 a força do movimento democrático fez com que o governo permitisse os discursos.” * Fonte Wikipedia



Peguei essa definição no Wikipedia só para servir de introdução ao vídeo que vocês irão assistir a seguir. Fiz uma viagem à Londres no início desse ano, junto com minha esposa, para visitar o primo dela que estava morando por lá. No meio da viagem, depois de conhecer o Big Ben, o Palácio de Buckingham, a London Eye e outros pontos turísticos ingleses, passamos pelo tal do Speaker’s Corner no Hyde Park. O lugar é interessantíssimo. Em cada canto da calçada, tem um maluco falando ou protestando sobre um assunto diferente: monarquia, capitalismo, política, etc. Papo cabeça mesmo, inteligente. E o engraçado é que fica uma multidão observando, atenta, às explanações dos caras. Muito doido.

Eu sei que já era de tardinha, lá pras seis, e eu tinha bebido vááááárias “pints” durante o dia. “Pint” é aquele canecão de chopp servido nos pubs londrinos. Naquele dia, eu não andava 100 metros sem entrar em um pub. Juro. Pô, tava conhecendo, né? Não deixa de ser turismo. E Leo, o tal primo da minha esposa, me acompanhou bravamente naquela incursão etílica.

Não sei se foi a cachaça, mas eu me empolguei tanto no meio daquela oratória toda, que resolvi discursar também. E sobre o Bahêa, né? Claro!

Os gringos começaram a se reunir ao meu redor, perguntando “What’s that language, man?”, “Speak english, man!”.

Nisso, Léo, igualmente manguaçado, sacou a câmera e começou a filmar. No meio da gringalhada, que olhava tudo aquilo sem entender nada, apareceram até umas brasileiras para tumultuar. O resultado foi essa bagunça aí abaixo. Confiram.



Não é à toa que muita gente toma uns gorós antes de fazer discurso.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Viva! BahÊa!

Dá uma satisfação da zorra quando a diretoria ouve a torcida. Estou falando isso, pois no começo do mês escrevi o seguinte sobre a nova loja do Bahia (física na Manoel Dias e virtual aqui):

"Curti a loja, só que achei a marca e o nome pobres, os novos produtos do clube são Bora Bahêa, Bahêa VIP, TV Bahêa e Alô Bahêa, não entendi por que a loja é “Viva! Bahia!”, escrito com “i”. Ainda dá tempo de mudar isso aí, já que a inauguração está prevista pra Agosto, por uma questão de criar unidade. Além do mais nosso blog é Bahêa minha porra..."

A marca era essa aqui:


Só que ao visitar o site hoje, vi que haviam mudado o nome pra "Viva! Bahêa!" Com "ê" mesmo!



Fiquei empolgado por terem acatado essa sugestão, então vou sugerir mais algumas:

1- façam uma promoção de ingressos casadinha (Vasco e Juventude), assim lotam os 2 jogos. Sugiro 50 conto a inteira e 25 a meia pra ir aos 2 jogos.

2- esqueçam o escudo bizarro e coloquem de volta no site oficial o nosso escudo tradicional.

3- tragam um jogador referência pro meio-campo!

4- tou ligado que estão esperando o Bahêa brocar o Vasco pra lançarem o novo Bora Bahêa, mas isso não pode esperar muito tempo! Eu já teria lançado depois de ter ganho do fraco Campinense. E coloquem a marca do Bora Bahêa no uniforme, pelo menos em alguns jogos.

Ah, quem quiser ouvir a locução do comercial do Bora Bahêa é só carregar o vídeo abaixo. A imagem tá péssima (gravei no cinema), mas a locução tá ótima e é melhor que nada, depois posto o vídeo melhor.



Bom, acho que chega de sugestões pra diretoria hoje. Mas ainda tem mais 2 sugestões pra você:

1- acesse o blog do filme Bahia Minha Vida clicando AQUI. E saiba um pouco mais sobre o projeto. Apesar do filme ser sobre o Bahia, não será feito pelo clube, é uma produção independente e o Bahia cedeu o uso de imagem, essencial para a produção. Tem tudo pra ser um trabalho bem legal. Não deixe de acompanhar e sugerir algo lá no http://filmebahiaminhavida.blogspot.com. Quem sabe sua história não vai pra telona?


Cartaz do filme Bahia Minha Vida.

2- falando em sugerir, aproveite e sugira algo pra diretoria, com certeza os caras lêem isto aqui...

3- já ia esquecendo, siga Bolota no Twitter (clique aqui). Por enquanto aquele gordo só escreveu merda, mas é ele quem vai contar em 1a mão uma novidade que vai rolar aqui no blog.

ST

domingo, 19 de julho de 2009

Bolota News

Por Bolota da Bahia

Fala, cambada de sacana!

Fim-de-semana foi movimentado como a zorra. A começar pela goleada que o tricolaço aplicou no poderoso Campinense. Goleada sim, pai véi... do jeito que o Tricolaço tá, meter 2 a 1 pra mim, já é goleada. Né não?

E vou confessar uma parada pra vocês... tive um sonho miserento na sexta-feira. Se ligue na porra:

Último jogo do campeonato. Bahia contra o Gigantes do Norte.


Time do Gigantes entrando em campo.

Gente como a porra no estádio. Não era Pituaço. Também não era a Fonte. Era o Boca-do-Rio Arena. Sendo que o "Arena" com pronúncia em inglês. Boca-do-Rio "Arrina". Pelo menos era como o locutor no meu sonho tava falando. O Bahia precisa ganhar de qualquer jeito... o bicho tá pegando papá. Chuva da porra, lama pra caralho. Cenário tenebroso. Parecia o Barradão, só que piorado. Imagine o inferno!

5 minutos pra acabar o baba e o Gigantes pressionando pra caralho. Arturzinho (ele mermo) tira Beto e bota o goleiro reserva pra reforçar a zaga!! Esse Arturzinho é foda. Mas a alteração parece que não dá certo (é óbvio, né, mô pai?). O Gigantes arma um contra-ataque fulminante. O atacante costura a zaga inteira do Bahia (inclusive o goleiro reserva), dá um banho de cuia em Marcelo e marca um golaço. Gigantes 1 x 0 Bahia. E o Bahia cai pra série D!!!

Aí eu acordo. Todo suado. Meu suvaco parecendo um cuscuz. Êta minha porra!! minha caceta voadora!! entro em pânico!!

Vou na geladeira, abro uma skó pra dar aquela organizada nas ideias. Vou no banheiro, pego a pasta de dente, boto no dedão indicador e inicio minha higiene bucal. Ainda um pouco atordoado, saio de casa e vou na lanchonete do meu broder Rauzer, a Lan-Rauzer. Lá ele serve um misto com suco de cupuaçu muito de fuder. Enquanto isso dá pra acessar as notícias do tricolaço num PC de última geração. É um 4-8-meia sacanage que fica no quintal da lanchonete.

Acessei o ecbahia.com e vi que realmente aquilo não passou de um pesadelo.

O Bahia tá uma carniça? tá. Os jogadores não estão rendendo? não. Paulo Carneiro é gordo como a porra? é.
Mas na moral... ainda não é motivo pra desespero. Muito menos pra negoço de Público Zero.

Esse pesadelo me mostrou que a gente pode estar numa merda de dar dó, mas com certeza, poderia ser beeem pior.

Como diria minha querida Mãe Menininha do Gantoá: "Público Zero de cu é rola, rapá".

Porra, véi... não chegamos nem na metade da porra do campeonato e tem neguinho todo estressadinho querendo esvaziar Pituaço?? Se essa onda pega, aí é que a gente tá fudido mermo.

Sou contra pra caralho. Vou esperar o desenrolar do campeonato. No final, caso a vaca for pro brejo mesmo (bate na madeira), aí sim, a massa tricolor terá que ver uma forma porreta de protestar e cobrar do cabeça-de-gel o porquê a gente não subiu.

Acho que o grande problema no momento é que o ingresso tá caro como a zorra e eu vou ter que assistir a parada do jogo do Bahia e Vasco, no boteco de Cangaço.
Por isso é que eu defendo um outro tipo de protesto... tem que baixar o preço desses ingressos, véi... cá pra nós... o time não é nenhum Real Madri. Não dá pra cobrar isso aí que tão cobrando, cacete!

Se o Bahia tivesse dando show... brocando todo mundo, vá lá... mas o time tá uma pereba da zorra. Cagando um quilo certo pra ganhar do lanterna do campeonato. Jogando pedra em santo... se liga Marceleza...

--------------------------------------------

E por falar em Marcelinho "pote-de-gel", tem gente lá na comunidade do Orkut dizendo que, caso o Bahia não suba (bate na madeira de novo), ele não vai cumprir a aposta BBMP. Os caras estão dizendo que o sacaninha vai dar o "zig".
Sabe como é, né? palavra de político é foda. Ainda bem que a gente tem um documento assinado do sacana.

Claro que tá todo mundo torcendo pra que ele não tenha que raspar porra nenhuma. Não é nem porque o cara tem o cabelo arrumado e olho azul, mas porque ninguém merece ver o Bahia mais um ano na série B, né não putada?

É por isso que o BBMP criou o "Carecômetro". A cada rodada, a gente vai colocar esse gráfico bonito pra lembrar o presidente da aposta.
Acho bom o sacana se esforçar, porque se não, vou eu, Ruk Ruga, Nêgo Bruto, Martelada e Zarôio atrás desse sacana pra depenar a cabeleira do miseráve.


Não suba o Bahia não, sacana... fique aí

--------------------------------------------

E por falar em esforço, vocês viram os reforços que estão vindo pro Tricolaço?? Juninho, Adriano Pimenta, Hélder e Lucas Silva. Vamo rezar pra porra dar certo, cambada. Parece que esse ano, acabou a bufunfa pra contratações.

Pelo que vi no iutube, os sacanetas são bons de bola. Se bem que no iutube até eu sou bom de bola... Queira deus que dessa vez o sacana do Paulo Carneiro dê uma dentro. Tá na hora, né, nisgraça?

-------------------------------------------

Por falar em Paulo Carneiro... vocês viram a esculhambação que está rolando na internê por esses dias? não sei se choro ou se dou risada. Se ligue na miséria:



E o pior é que não é só ele não, viu? tem vitorinha como a porra agora lá no Bahia.

- O sacana do marketing é vice (pra deixar passar aquele escudo, só podia ser)
- O sacana que cuida do gramado do fazendão é vice
- A secretária do Carneiro de troia é vice (um boca mole amigo meu me disse que viu a dita cuja no bavi da final no meio da torcida do vice e com camisa do vice!!)

É, papá... tamo fudido e no meu caso, mal pago.


Não sei se vocês se lembram duma propaganda do Zeca Pagodinho com a Nova Schin (aquela do experimenta).
O pinguço rompeu o contrato, pois não conseguia mais ter que ficar bebendo Brahma escondido. E agora ele tá aí. Brahmeiro. Porque ele ama a porra da cerveja dele e nem por dinheiro conseguia fazer propaganda da outra. Ele até fez... mas viu que não tava dando certo e se picou.

Na moral véi... futebol é que nem cachaça. Se não gosta da porra do time, como é que você vai trabalhar pro time??? me explique aí?

--------------------------------------------

Outra novidade que eu queria dizer a vocês é que aderi à nova onda do momento. O Tuíta.

Tuíta e um site que nem o MSN, pá... tipo o Orkut, pá... assim... tem os seguidores, pá... sacou?

é uma viadagem nova aí que inventaram e eu entrei na parada.
Quem quiser entrar na tuíta do Baheaminhaporra (by Bolota da Bahia), acesse www.twitter.com/baheaminhaporra


É lá que vou dar (lá ele) em primeira mão uma notícia inédita sobre o blog BBMP que vai rolar ainda este ano.

Na verdade eu achei a novidade uma bosta, mas Fábio (o viado que organiza o BBMP) acha que é um negócio do caralho e quer que eu venda a porra assim.

Então, sigam-me os bons que essa semana eu vou dar uma notícia ESPETACULAR lá no tuíta.

--------------------------------------------

Novidade do caralho mesmo (agora é sério) é que as camisas do BBMP estão sendo vendidas lá na Casa do Tricolor do Jardim dos Namorados.



Queria agradecer a Fred da Inks pela parceiragem da porra que a gente fez durante esses meses, agradecer as cachaças, as caronas até Pituaço e principalmente à nossa amizade (vou parar por aqui porque se não neguinho vai pensar que eu tô de baitolagem).

Então, cambada de sacana, quando for comprar seu ingresso lá na Casa do Tricolor, dê uma olhada nas camisas do BBMP, que a parada tá bonita pra caralho.
E na moral, aquela loja é foda. Tudo produto original, material de primeira qualidade. Só coisa linda do Bahia. A única coisa feia que eu vi ali foi o dono.

-----------------------------------------

Então é isso galera.

Diga NÃO ao Público Zero
Diga NÃO ao Ingresso caro
Diga NÃO à placa do carro de Paulo Carneiro (vocês estão ligados que a placa dele é ECV 1899?)

e principalmente, diga NÃO a Jorge Alan, o comentarista pé frio dos inferno. Bota ele pra comentar só os jogos do vice.

Abraços por trás. E Bora Bahêa Minha Porra!!!

Bolota da Bahia.

Prata da casa é ouro

Por Lucas Ferraz.

Todo torcedor que acompanha realmente seu clube tem uma reclamação que é sua cachaça. Aquela que em toda roda de amigos ele volta a falar e a levantar a discussão. E a minha eu confesso pra vocês: É a valorização da Prata da Casa. Tanto no incentivo e preparação dos jovens quanto na manutenção deles depois, por mais tempo possível.

Temos que concordar em uma coisa, o Nordeste não o pólo financeiro do país, consequentemente, onde não tem dinheiro, não tem investidores, se não tem investidores não dá pra ser um receptor de craques, e sim fornecedor. Assim como os times do Sul e os outros do Nordeste, vivemos de épocas, torcemos por momentos que coincidam o aparecimento de craques simultaneamente em posições diferentes, para fazer um bom campeonato, e nada mais que isso, já que no próximo ano, eles vão embora.

Já que para essa situação se inverter é muito difícil, devido a inúmeros fatores extra-campo e extra-futebol, temos que saber entrar no jogo, dançar de acordo com a música. Vamos focar nas divisões de base ao invés de tentar trazer 1 caçamba de Joelsons e Alagoanos. Não só pela questão financeira, que é lógica, como por outro fator, que eu acho até mais importante: O amor a camisa!

Não dá pra comparar um menino como Paulo Roberto, que ia pra fonte torcer, sentia a paixão ali de perto, e pegava seu buzu até outro dia da Ribeira pra Itinga sem smartcard (é chão viu!) com uns sacanas que vem da casa da porra, que não sabe nem gritar “Bora Bahêa minha porra”...
Eu, particularmente, acho que a recente queda do Bahia tem muita a ver com a falta de revelações de outrora. Sem querer desmerecer nossos meninos de hoje, mas já faz tempo que não aparece uma safra como a de Jorge Wagner, Marcelo Ramos, Robson Luís, Jean, Uéslei, Clebson, Bebeto Campos, Nonato e Daniel. Até surgiram algumas promessas, mas deram xabú, como Rafael Bastos, Danilo Rios, Neto Potiguar e Luiz Alberto. Mas todos sem o apoio e a estrutura necessária.

E como falei no inicio, não só priorizar as pratas da casa, mas também saber usufruir o máximo delas para que se valorizem mais, e ao mesmo tempo que ajudam o time em mais de 1 campeonato. Não é só saber criá-los, mas saber gerir os talentos, a hora certa de vendê-los. Assim não perde dinheiro nem os campeonatos baianos por 8 anos seguidos. Sem falar na chacota internacional nos casos como o de Daniel Alves, que foi vendido por 12 pares de chuteiras e 1 big big mastigado, e hoje tá lá, ensinando Messi e Henry a falar “vamo bater o bába”.



Na verdade eu sei que a grande maioria dos torcedores concordam e já estão cansados de ouvir sobre essa falta de valorização das pratas da casa, mas como eu soube que MGF e alguns jornalistas também passam por aqui pelo Blog do BBMP, achei que fosse válido registrar essa elocubração!! (terminei bunito viu!!)

Tô longe, mas tô ligado em tudo!!
Abraço a todos,

Lucas Ferraz
Tricolor em Lisboa e padrinho do sobrinho do melhor amigo do filho de Lima Sergipano!!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A casa da mãe Joana


"Casa da mãe Joana" - Rico Oliveira

Que o baiano é um povo hospitaleiro, todo mundo sabe. Mas do ano passado pra cá o Bahia também resolveu receber bem os visitantes. Em 2008 ainda tinha a desculpa de jogar fora de Salvador, mas neste ano esse papo não cola. Só pra comparar, em 1995, com a reforma na Fonte, o Bahia também jogou em Pituaço e mesmo com um time ruim (terminou em 17º), não fazia tanta vergonha jogando em casa. Confira os placares:

Bahia 0 X 1 Fluminense
Bahia 1 X 1 Sport
Bahia 2 X 0 Atlético-MG
Bahia 0 X 0 Criciúma
Bahia 1 X 0 São Paulo
Bahia 1 X 0 União São João

Foram 6 jogos em casa, mesmo número que os de agora e mesma campanha também: 3V, 2 E, 1 D, a diferença eram os adversários (e a série). Naquele ano perdemos uma, pro Fluminense (que veio a chegar à semifinal), já em 2009 perdemos pro Figueirense (que de Fluminense só tem a rima). Em 95 empatamos com Sport e Criciúma, 14 anos depois, estamos empatando com Bragantino e Ipatinga. No passado ganhamos do São Paulo, União São João e Atlético/MG, agora ganhamos do ABC, Ceará e Paraná.

Já perdemos o respeito e 7 pontos em casa. Isso nos custou o 5º lugar do campeonato, a 1 ponto do 2º colocado e empatados em pontos com o 3º (20 pontos). Simples assim. Se o Bahia continuar covarde no seu próprio território essa porra nunca vai engrenar. Foi-se o tempo em que, mesmo com time fuleiro, a gente saia do estádio feliz.


P.s: de bônus, em 95, ainda ganhamos do Cruzeiro em Pituaço: 2 x 1, pela Copa do Brasil. E em 2009? Ganhamos do Potiguar... É pra rir ou pra chorar?

P.s 2: o Bahia Bizarro do escudo tremelique ainda não ganhou um único jogo.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Quando será o fim do Bahia?

Seu Neneca e a sua história
por Miguel Grisi

Nelson Campus da Silva nasceu em 1ª de Janeiro de 1921, filho de seu João Campus, zelador da Associação Atlética da Bahia e da Dona Célia da Silva, cozinheira do clube Bahiano de Tennis. O garoto cresceu brincando nos dois clubes, adorava correr e principalmente jogar futebol, em 1930 chorou ao saber que os dois clubes iriam desistir da prática do futebol e iria se afastar do esporte que tanto amava.

Garoto sapeca, Nelson descobriu que um pessoal que jogava futebol nos dois clubes decidiu se reunir em um casarão na Avenida Princesa Isabel, o motivo? A criação de um novo clube para participar da Liga Baiana de Futebol. Nelson e seu João, sempre queridos por esses boleiros boêmios, participaram da reunião onde os rapazes discutiram onde seria o local de treinamento, nome e arrecadação financeira. Contudo, foi no meio da madrugava, no início de seu aniversário, que Nelson, ao entregar uns salgados que sua mãe cozinhava para um baile que acontecia na cidade, viu aqueles rapazes fundarem o Esporte Clube Bahia, enquanto riam com ele e comiam os salgadinhos de sua mãe, o garoto participava de um momento histórico na vida do clube.

A partir deste dia Nelson vivia com os boleiros ajudando a fundar o clube. Certo dia estava ele, seu pai e o primeiro presidente Waldemar Costa, seu João lhe perguntara por que ele agora vivia com aqueles rapazes e Nelson respondeu: “Porque o Bahia nasceu para vencer”. O presidente embalado por aquelas frases despretensiosas do garoto espalhava pela cidade o jargão “Nasceu para vencer”. E o jargão de Nelson virava verdade ele viu “seu time” ser campeão logo de cara do Torneio Início do Campeonato Baiano de 1931 e de mais 4 que viriam ao longo da década.

Mesmo com o afastamento de alguns craques que se afastaram do time como Teixeira Gomes e Odilon o garoto continuou vidrado no clube, não pode ajudar mais de perto, pois, logo teve que começar a trabalhar para ajudar as finanças da família, mas, sempre acompanhou o clube. Estava em momentos históricos, em 1951 entrou em campo e tirou foto com a equipe campeã do Torneio Otávio Mangabeira que comemorava a criação de um estádio que ficava do lado de uma Fonte Nova. Em 1959, pediu demissão do seu emprego, no porto da cidade, para viajar como clandestino com o Bahia, para ver o time jogar contra o Santos de Pelé. Ao voltar estava sem dinheiro, tinha perdido a mulher, tinha tudo para se sentir na sarjeta, mas: “Vi o time ser campeão brasileiro, em pleno Maracanã, em cima do Santos de Pelé, vi o Brasil se ajoelhar e dizer, ‘O Bahia é o Campeão dos campeões’, depois disso qualquer problema era pequeno.”. Em 1960, seu Neneca foi convidado por Osório para ajudar o clube em uma excursão ao exterior enquanto estava sem clube, ele viu o Bahia ganhar de clubes como Benfica, seleções e golear de seis times como o Bayern Munique. O melhor time do Brasil agora também era temido no exterior.

Nelson, que já era chamado de Seu Neneca, não teve muitas dificuldades de transformar seu filho e sua mulher hippie em torcedores do Bahia, afinal, além do time que ele ajudou a fundar ser popular, alegre e campeão brasileiro, na década de 70 ganhou 7, dos 10 títulos baianos disputados, era temido por qualquer time do país que vinha jogar aqui: “Tive que morar em São Paulo por um tempo, apesar da certeza de saber que o Bahia ganhava tudo tinha saudades de lá, quando me perguntavam para que time eu torcia eu dizia: ‘Para o Tricolor da Boa Terra’.”. Em 1988, Seu Neneca voltava à Bahia, como em comemoração ao retorno ao seu mais saudoso torcedor, o Bahia foi campeão brasileiro, cantou o lance em que Gil faria o gol da virada e vibrou junto com 110 mil torcedores o gol que colocaria o Bahia na Libertadores da América. Esquecendo de sua coluna, o senhor de 65 pulou como o menino o gol de virada de Bobô, que daria o Bi-Campeonato Brasileiro ao seu Bahia, beijou o escudo de sua camisa e disse “Parabéns Bahia, tu és novamente o melhor”, mergulhado em lágrimas em frente ao senhor do Bonfim, a cena emocionava a todos.

Em 1994, aos 40 minutos do segundo tempo, quando as pessoas saiam da Fonte Nova dizendo que o Vitória já era campeão, seu Neneca ria sozinho, quando: “Um garoto me perguntou, ô velhote? Você tá maluco? O Bahia levando ferro e você rindo da nossa cara?”, seu Neneca olhou para cara do menino que deveria ter seus 13 anos e lhe disse com uma certeza invejável “Só to pensando quando vocês tentarem voltar para comemorar o título e não conseguirem mais, eu vou ficar aqui e acompanhar mais um marco na história”, só demorou sete minutos para as palavras de seu Neneca virarem fatos, ele acompanhou e comemorou mais um título histórico do clube. Em 1997, seu Neneca sentiu algo que nunca havia sentindo na vida, chorou de tristeza pela primeira vez pelo clube que ele acompanhava a meros 69 anos. Em 2003 seu Neneca se decepcionou e se indignou pela primeira vez a respeito do clube que ama, em 2005 sentiu-se pela primeira vez humilhado pelo clube.

Em 2006, não acreditava que o clube a qual tinha visto tantas façanhas e conquistas, que era temido por times nacionais e internacionais se apequenava em uma série C. Quando seu neto perguntou se ele temia que o time acabaria ali, ele disse: “Claro que não, vi uma guerra mundial, presenciei o início e o fim de impérios e ditaduras e aprendi que no final tudo volta ao normal, não se pode prender um elefante em um formigueiro e é por isso que o Bahia não irá ficar na série C ou B, é uma aberração à natureza”. No jogo contra o Fast, quando todos imploravam para não ir a Fonte Nova e o tentavam convencer a não ir ao jogo e desenganando-o a respeito do acesso ele foi taxativo: “Me larguem, não posso perder mais uma oportunidade de acompanhar outro momento do Bahia entrar para história, quero sentir novamente a emoção de torcer para o Bahia e toda sua mística”.

Hoje de manhã ao passar na casa de seu Neneca, ele estava muito abatido devido ao jogo contra o Bragantino seu filho, já idoso o questionava porque ele não abandonava este time que nos últimos tempos só tem te feito tão mal, como um menino, o senhor de 88 anos respondeu com sorriso e vitalidade: “Porque o Bahia nasceu para vencer”, seu bisneto revoltado com o último jogo do time retrucou: “Isso no seu tempo vovô”. Sentado em sua espreguiçadeira seu Nenê apóia-se em sua bengala, levanta e diz: “Você não precisa viver o que vivi ou sentir o que sentir para saber que o Bahia é grande, você simplesmente precisa saber que torce pelo maior time do Norte-Nordeste com uma história tão grandiosa que o coloca junto de tantos outros clubes de tradição nacional. Mais do que todos vocês, sinto a tristeza de ver o Bahia nesta situação porque, acompanhei glórias inimagináveis por vocês e nunca pensei em vê-lo nessa situação, contudo, em todas as suas conquistas o diferencial do Bahia foi sempre raça e luta, não deixarei de acreditar neste clube, pois, sei que ninguém nos vence em vibração e mesmo que esteja lá sozinho, estarei em pé torcendo por ele, para acompanhar mais um momento histórico na vida do clube.”

Seu Neneca estará em Pituaçu contra o Vasco, mesmo descontente com o time vai estar lá com ele, quem sabe ao seu lado não presenciaremos mais um momento histórico na vida do clube? O Bahia é muito maior do que a sequência de maus resultados que o acompanha ao longo da década.

O Bahia é raça, amor, glória, suor e luta. Não será o fim do time no dia que o clube perder um jogo ou empatar a partida, será o fim no dia que a torcida perder esse espírito de luta que transformou um despretensioso clube de amigos, na maior instituição de futebol do norte-nordeste.

Podemos sentir tristeza, raiva, decepção e indignação mas, jamais deixar de acreditar e amar um clube da sua grandeza. Quando um torcedor do vice chega para seu Neneca e diz: “Você é museu para viver de passado?”, seu Neneca na ponta língua responde: “Você é Yemanjá para viver de presente?”, seu Neneca conseguiu até converter o bisneto de seu amigo de infância, Bartola. No final do baiano de 2009, perguntou ao seu neto de 8 anos porque ele ainda era Bahia, afinal nunca viu uma conquista do clube e só viu o time cair, o menino respondeu para o seu bisavô de 88 anos: “Porque não quero chegar na sua idade, vovô, sem ver meu time ser campeão brasileiro.”.

Miguel Grisi

BBMFPP

O texto abaixo é de um amigo meu, Cássio (mas não é Melo, é Nascimento). Ele me enviou após a derrota pro América/RN, mas continua bastante atual.


Bora Baêa Meu Fundo do Poço da Porra!!!
Por Cássio Nascimento

Os mais otimistas diriam que o novo técnico apenas está começando.

Os mais pessimistas já pregam o fechamento do clube.

Os mais rubro-negros adoram.

O fato é que o Bahia, mal comparando, pode ser espelhado na seguinte situação:

Imagine uma esposa submissa que vive sendo traída pelo marido endinheirado. A cada traição, uma promessa de mudanças. A mulher, que inicialmente aceita, cai na real e vê-se cansada de ser enganada. Nova crise, novas promessas, nova motivação de melhoras, novo deslize do esposo, nova crise, novas promessas... "mas é preciso acreditar"!

A mulher é dependente financeiramente do marido, nunca estudou e não tem mais a quem recorrer. Ou "aceita" ou sai de casa. Poderia requerer pensão alimentícia e começar vida nova sozinha e com uma gorda mesada, mas ela ama de verdade o seu marido e os seus princípios morais não permitem que tome medida tão radical. Sem falar que ficaria boa parte do tempo longe dos dois filhos que ela tanto ama. Com certeza não aguentaria esta situação!

Um dia esta moça entra num site de consultoria sentimental da net, e um conselheiro qualquer mostra que existem três situações possíveis para esta combalida mulher: ou abandona o lar e passa fome ou finge que acredita nas coisas que o esposo fala; ou a mulher pode também sair de casa, voltar a estudar, arrumar um emprego.

Ela pensa, pensa... e acaba decidindo fingir que ama o seu esposo. Afinal de contas, ele é quem "bota comida dentro de casa".

A torcida do Bahia é completamente dependente do seu clube para ser "feliz".

O Bahia age como o marido traidor.

Uma parte da torcida age conforme a primeira opção: são os pessimistas. A diferença nesta metáfora é que o Bahia é apenas um clube de futebol.

Outra parte da torcida age conforme a segunda opção: é a maioria dos "binhas" que sentam nas arquibancadas.

Finalmente, a terceira parcela da torcida age conforme a opção mais radical: são os oposicionistas de plantão.

Só que, ao sair de casa e tentar vida nova, a nossa heroína nem saberia por onde começar e como começar.

Mas se ela quiser de verdade, nada vai impedi-la.

Mas como???

Se tivéssemos esta resposta de imediato ao transportá-la para nosso time, o Bahia estaria no G4, mas da Série A!

"Vendo que não há jeito mesmo, o melhor é fingir que está tudo bem e depois ver no que vai dar", diz a mulher e, metaforicamente, boa parte da torcida tricolor.

O marido promete que será mais participativo dentro de casa e diz que vai dar presentes à sua esposa. Ela fica feliz. São presentes até caros... volta a paz ao falido lar...

A mulher segue sua vidinha pseudofeliz e, dias depois, novamente o marido chega em casa quatro da manhã com marcas de batom na roupa.

Nova crise. "Vou sair de casa! Não aguento mais!!!"

A torcida tricolor também diz estas palavras da linha acima... Não aguentamos mais!

Pedir "divórcio" do Bahia, jamais! E se deixarmos de amar nosso clube, nem haverá alguma compensação tipo uma "pensão"

Mas como sair dessa????

Confesso que nem eu sei a resposta...

E vocês sabem???????


Cássio Nascimento, mais conhecido como KCT, é médico e servidor público: mais um embaixador tricolor nos cafundós do Planalto Central, terra do Brasiliense, o qual vemos de camarote brigar pelo acesso enquanto estamos a passos largos rumo ao descenso...

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Ê, time ruim do CARALHO!! (ou Quanto Vale o Show?)

Por Bolota da Bahia.

Na moral... desculpem eu meter um palavrão logo no título, mas é que só na base do caralho mesmo pra expressar o quanto essa carniça desse time me deixou virado na porra hoje.

Antes de mais nada quero dizer que não fui pra Pituaço. Tava pirado e não queria ver o jogo mesmo. Preferi comer água no boteco de Cangaço aqui na rua. Não tava a fim de me estressar.
Mas não é que o filadaputa meteu um gato da NET na porra da barraquinha?? bicho ladrão miserável disgramado. Aí fudeu. Fiquei vendo a carniça do jogo na tv 14 polegadas enquanto tomava minhas ampolas.

O time até que entrou com raça. E fez um gol antes dos 15. Mas cês tão ligados que no baba é preciso muito mais do que apenas raça pra brocar. É preciso saber jogar o baba-arte, o baba-moleque, o baba-arisco. E isso, papá... o Bahia de hoje não tem.

Essa porra dessa tima enganou muita gente. Fez muito sacaneta acreditar que o elenco era melhor que o do ano passado.

Né não, viu?

É ruim pa caralho.

E o pior de tudo... quem parecia bom de verdade, ficou uma merda. Assim... de uma hora pra outra.

Tô falando de Elton. Não dá pra acreditar que esse é o mesmo Elton do campeonato baiano. Tudo bem que pra mim, campeonato baiano e campeonato do vale das pedrinhas é quase a mesma coisa. Não dá pra colocar como parâmetro com a série B... mas o negão tá demais!! errando bola besta pra porra. Acho que trocaram o negão, véi... né possível!

E Marcos que tá se achando o Daniel Alves? Começou bem como a porra nos primeiros jogos e agora tá cheio de gueri-gueri. Firulinha daqui, firulinha dali e perde a bola. Firulinha lá, firulinha acolá e tome contra-ataque nas costas. Se liga, sacana!! a galera ainda gosta de você, mas se continuar assim...

Pelamordeus!!! alguém faça uma vitamina de banana com MegaMass 3000 pra Ananias!!! o moleque até que é bom de bola, mas é mais raquitico que meu sobrinho Xupisco de 7 anos.
Ananias não tem nem pinta de jogador de futebol. Ele parece com várias coisas: assistente de pedreiro, cobrador do Pituba R2, garçom do Katendê... mas pra jogador de futebol, o sacaninha precisa comer muito feijão, coitado. Até que foi bem hoje... talvez o melhor do bando.

E Ávine?? Ávine é Ávine. É a única definição que eu posso dar pra esse sacana. Ele pode até virar adjetivo de jogador porra-louca. Algo do tipo: "porra... esse cara é um Ávine!!".

O resto é tudo feijão com arroz. Tudo jogador meeiro. Nota 5. E assim não tem caralho que suba! tô me referindo ao caralho do time, não ao meu caralho, heim?

O pior não é nem não subir! o pior é que do jeito que a porra tá, a gente corre risco é de descer!! e série C de novo, tá foda.

É por isso que a partir de agora o BBMP, faz um apelo à diretoria tricolor.

Quer cobrar ingresso caro, sacana?? monte um time bom!! porque esse não tá valendo nem nota de 3 real.
Já tiraram meu orgulho, lenharam meu escudo, não me tirem a possibilidade de assistir meu Bahêa, porra!!

30 conto eu não paguei nem pra assistir aquele filme dos robô que se transforma em carro. Com pipoca e as porra!!

Por isso vamos começar a luta mais importante que já se travou em terras baianas desde o 2 de julho de 1823!! A LUTA POR UM INGRESSO MAIS BARATO!!

Sei que nessa fase miserável que o tricolaço tá, vai ter gente que não vai pra Pituaço nem que ganhe o ingresso de presente, mas com certeza existem outros torcedores descarados e fanáticos como eu que estão a fim de apoiar essa carniça até a morte, mesmo na pindaíba que tá.

É por isso que o BBMP vai entrar nessa luta. Se não dá pra montar um time que preste, pelo menos reduza o ingresso a um preço justo e deixe o torcedor tricolor fazer a sua parte...

E se você quiser entrar nessa luta com a gente, pegue esse selo aí embaixo e coloque no seu orkut (com todo respeito), meta no seu blog, mande por e-mail para a diretoria do Bahia, mostre que você não quer mais pagar 30 conto por um time que não faz por merecer o bambá suado que você ganha no fim do mês!

e grite pra todo mundo ouvir: QUERO UM INGRESSO MAIS JUSTO, PORRA!!!

BORA BAHÊA, MINHA PORRAaAAAA!!!




P.S: Não sei se é muita viagem minha, mas tenho a leve impressão que sempre quando vejo um jogo do Bahia comentado por Jorge Alan, dá merda. Ô bicho pé frio da zorra!!

terça-feira, 14 de julho de 2009

Apoiante até o fim

Comecei a escrever esse texto já pensando em receber umas patadas. Mas como estou longe, não tem muito perigo. Vamos lá: acho que mesmo com horário escroto, dia escroto e preço mais escroto ainda, vale a pena ir pra Pituaço hoje. E digo mais, se você for, tem que apoiar.

A verdade é que o time tem obrigação de ganhar e vai entrar em campo nervoso, com peso nas costas e pressão nas arquibancadas e isso só faz atrapalhar. Não que eu ache que ninguém deva reclamar das merdas que estão acontecendo, mas deixem pra fazer isso depois da partida (no máximo uma vaia no intervalo), se for necessário.

Pois cada triunfo em casa é importantíssimo pras pretensões de subir ainda este ano. Já perdemos 5 pontos em Pituaço, não dá pra perder mais nenhum. Ano passado, antes de jogar contra o Vila e o Corinthians eu disse que o Bahia traria 4 pontos lá de fora. Na época era uma missão impossível, ainda mais que empatou com o Vila...

O que acredito agora é que o time pode engrenar uma boa seqüência, contra Bragantino, Campinense, Vasco e Juventude. Pois só contra o lanterna Campinense é que jogaremos fora de casa. Mas essa confiança só será válida se antes ganharmos do chato Bragantino. Depois desses 4 jogos, ainda enfrentaremos o Fortaleza e o Vila fora (na verdade contra o goiano é no Serra Dourada, melhor ainda!), sendo que, de todos os 6 times que citei, só o Vasco e o Braga estão na nossa frente (e vencendo hoje deixaremos este último pra trás).

Sei que tudo isso que escrevi é fruto de uma mente doentia que sempre aposta que o Bahia vai ganhar todos os jogos que disputar (pode ter Barcelona x Bahia na Loteria Esportiva que vou marcar o quadradinho do tricolaço). Sabe por quê? Porque eu sou torcedor e acho que minha existência não teria significado se eu pensasse diferente.

Em Angola torcedor é chamado de apoiante, nada mais lógico. Por isso, se for, vá pra apoiar, pra incentivar o seu time do coração, mesmo que ele às vezes faça mal a esse órgão. Deixem as críticas pra depois, mas seja crítico também, pra não fazerem do tricolor gato e sapato. Reclamem do escudo, do ingresso, do horário, mas deixem o time tranqüilo em campo. É tudo que nossos jogadores precisam agora.

Vocês não têm idéia de como eu queria estar aí em Salvador, só pra aparecer em Pituaço com minha cara de descarado. Queria encontrar Barbara, Bené, Bruno(s), Cássio(s), Danilo, Fábio (s), Gera, Leandro, Lênin, Leo, Nenéu, Paulo, Pedrinho, Vini, Washington (futuro papai), Zeca e mais uma porrada de gente, neste verdadeiro evento social que é um jogo do Esporte Clube Bahia.


P.s: mas também não venha me xingar se resolver ir e esse time safado não corresponder em campo ao seu amor. Quem mandou ser descarado também?

domingo, 12 de julho de 2009

Vale a pena ver de novo? América/RN 4 x 1 Bahia Bizarro

Ok, ok. Eu sou doente. Estou aqui vendo a reprise do jogo de ontem e estou torcendo para que o placar seja outro. Aliás, eu acho que tenho problemas com reprises, pois sempre que revejo a final de 88 fico agoniado, nervoso mesmo, torcendo pra que o Baêa não tome gol e ainda faça um!

Ao menos ver a reprise de ontem me faz analisar a partida com mais calma. No 1o tempo, a 1a grande chance de gol foi do tricolor, o goleiro deles defendeu e o jogo estava parelho. Mas depois Marcelo é que fez uma grande defesa e mais tarde todo mundo já sabe o que aconteceu: em uns 10 minutos tomamos 3 gols e aí fodeu (sendo que o 2o tava impedidaço, mas isso não pode servir de desculpa).

O lado direito da nossa defesa simplesmente não existia, assim como Joãozinho é vice. Ô jogadorzinho apagado, que veio cheio de expectativas e chegou aqui não mostrou pra que veio. Um João-Ninguém. Pra mim o ataque é Beto e Reinaldo mesmo, que jogaram no segundo tempo e junto com a entrada de Ananias deram outra cara ao time.

Tanto é que o Bahia fez o 1o, meteu bola na trave e passou a dominar a partida, inclusive perdendo gols incríveis. Só que a reação só durou até tomar mais um gol, algo até normal, diante da situação kamizaze que estávamos jogando.

Enfim, o placar foi uma merda, mas novamente vai servir pra diretoria reforçar o elenco, que Comelli erroneamente disse que era forte. Pelo menos é isso que eu espero. O campeonato é mais longo que a distância entre América e África, ainda dá pra recuperar. Só não deixem o desespero dominar.


P.s: o América acaba de fazer o 4o gol. Faltam 11 minutos. Nem eu, com meu otimismo característico, acho que vamos virar esse baba.

P.s 2: DEPOIS DO ESCUDO BIZARRO O BAHIA B NÃO MARCOU UM ÚNICO PONTO. E AINDA PERDEU A INVENCIBILIDADE EM CASA. TIREM ESSA URUCUBACA DO SITE OFICIAL!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Bahia Michael Jackson

O que é o que é? Empalideceu, andou para trás e abusa das criancinhas?

Se você chutou Michael Jackson, errou. A resposta certa é o Esporte Clube Bahia.

Pois é, cambada. É a pura verdade. O Bahia começou o ano com tudo. Repaginado, com altas expectativas e cheio de guéri. Começou bem o Baianão. Goleava, convencia, jogava como música.

Tinha estádio novo, cheio de modernidade. Dava até para comprar o ingresso pela internet pagando só um pouquinho a mais. E você ainda tirava onda passando pela catraca com o próprio cartão de crédito. Coisa de primeiro mundo.

A diretoria também era "nova", cheia boas intenções. O marketing cheio de pompa, com idéias importadas da Europa e dos grandes times do Brasil. A política de contratações tinha mudado. Vieram jogadores com um certo nome, conhecidos da maioria dos torcedores.

Parecia que a longa e laboriosa tempestade tinha finalmente terminado. Que o rumo do vento tinha mudado e que a ansiosa torcida tricolor finalmente iria começar a colher os frutos da tão sonhada bonança.

Mas, de repente, as coisas começaram a andar para trás. Como aquele tal passinho “Moonwalk” do Michael Jackson. Fizemos um segundo turno ruim no Baiano, perdemos o Campeonato para o rival e começamos a Série B com uma campanha pífia.

A política de contratações voltou a ser aquela de outrora. Muitas especulações e nada de concreto. Quando vem alguém, ninguém sabe quem é.

A moral, que o Esquadrão de Aço parecia ter recuperado voltou a se dissipar como pó. Ninguém mais quer vir jogar ou treinar o Bahia.

O supercriativo marketing nos tenta empurrar goela abaixo um “novo” escudo, trêmulo, frágil medroso. E ainda estampa o símbolo broxa no site oficial do clube.

Aquele sentimento de frustração, de decepção que parecia ter sido abafado, começa a voltar aos poucos, junto com a falta de confiança em uma campanha vitoriosa no Brasileirão.

Meu cartão de crédito que virava ingresso perdeu os poderes e voltou a ser apenas cartão de crédito. Comprar pela internet que era uma ótima opção ficou inviável devido ao novo preço cobrado e ao trabalho de ainda ter que pegar o ingresso para poder entrar no estádio. Voltamos ao terceiro mundo.

É. galera. O Bahia empalideceu, andou para trás.

E continua abusando e cobrando ingresso das criancinhas.

O jeito é torcer para não ter funeral.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Cheguei Primeiro

Por Hugo Maron.

Que o Bahia nunca soube contratar, todos nós estamos carecas de saber.
Mas, tem uma história que não poderia deixar de compartilhar com toda a nação tricolor.
A intenção não é gerar confusão, longe disso.
É apenas descontrair com um fato que me faz rir (melhor que chorar) toda vez que eu lembro.
O ano era 2007 e o Joinville disputava uma tal de Divisão Especial (que de especial não tem nada, é uma éspecie de 2ª divisão do Campeonato Catarinense), e ia bem no campeonato onde acabou se tornando campeão.
Veio com algum destaque na mídia de qualquer forma, até pela boa campanha que fez na Copa do Brasil.
Fato é que, algo bom estaria acontecendo por lá.
O Bahêa que não é besta, tratou logo de ir observar os jogadores do time, para com aquele olhar cirúrgico que só se ver por aqui, trazer a grande revelação do time.
Foi ai que nossos diretores viajaram pra lá e, com bastante antecedência pôde escolher o primeiro jogador que sairia daquele time.
O Joinville não é um clube rico e estava emprestando os jogadores de graça, com passe estipulado ao fim do contrato, nada de muito difícil para se fazer.
Certamente, e ai, eu fico rindo e imaginando, os nossos diretores devem ter ouvido falar de um bom volante que jogava por lá e, decidiram contratar.
Mas, qual?
São dois volantes...
Um é experiente, capitão do time, tem uma boa força física, espírito de liderança.
O outro é magrinho, franzino, tem 20 anos, é claramente (?) orientado pelo anterior.
Não tem nem o que pensar... Vamos contratar o primeiro.
E contrataram...Diretoria competente, inteligente (!?!?!?)
15 dias depois, um outro time brasileiro foi lá e contratou o magrinho, franzino.
Não tá lembrado?
Veja a notícia abaixo e relembre (ou tome conhecimento) o que nosso time do coração aprontou com a gente, em mais um show (de leseira) da nossa antiga diretoria.
É por isso que eu digo: Bora Bahêaaaa minha porrra!!!!

30/03/2007 - 19h38
Direção acerta contratação de volante do Joinville
Nelson Barros Neto

Antes de oficializar a vinda do meia Danilo, o Bahia anunciou nesta sexta-feira o frente-de-zaga Emerson, de 29 anos. Ele estava no Joinville, um dos lanternas do Catarinense, que em 17 jogos, perdeu nove e só venceu três.
Mesmo assim, segundo o que se pode perceber na comunidade da equipe na página de relacionamentos Orkut, o jogador era bem visto pela torcida do JEC, que não gostou nada da sua transferência ao Tricolor de Aço.
De acordo com o site oficial do Joinville, trata-se de um atleta "ambidestro, tem força na perna direita e habilidade na esquerda. É rápido, executa a cobertura dos alas com qualidade e muita eficiência, chuta forte, tem uma saída de bola qualificada e grande aproveitamento nas cobranças de faltas e escanteios".
Emerson Cris Hartkopp, que chega em Salvador na terça-feira, nasceu em Curitiba-PR no dia 22 de janeiro de 1978, mede 1,78m e pesa 72 quilos. É o 22º reforço trazido pelo Esquadrão de Aço para a temporada 2007.



12/04/2007 - 17h25m
Clube contrata volante do Joinville
Ramires, de apenas 20 anos, fica por empréstimo até o fim desta temporada
GLOBOESPORTE.COM Em Belo Horizonte
A diretoria do Cruzeiro acertou na tarde desta quinta-feira a contratação do volante Ramires, de 20 anos, que estava no Joinville. O jogador vai para a Raposa por empréstimo gratuito até o fim deste ano, com o clube celeste tendo a opção de compra de 70% dos direitos econômicos do atleta por US$ 300 mil.
De acordo com a assessoria de imprensa do Cruzeiro, Ramires chega a Belo Horizonte no começo da próxima semana, para realizar os exames médicos e laboratoriais. A data de sua apresentação oficial ainda não foi definida.

Foda, né?

sábado, 4 de julho de 2009

Gallo, Carneiro, burro... Bahia Bizarro 0 x 1 Figueirense

Finalmente entendi o motivo da diretoria do Bahia lançar o tal escudo bizarro. É pra não manchar a imagem do verdadeiro Esquadrão. É uma atitude louvável pra resguardar o time que tanto amamos. Assim guardamos o amor para o Bahia tradicional e destilamos nossa raiva nesse novo Bahia.

Pois o Bahia que eu conheço não é esse que entrou em campo hoje. Um time sem graça, sem objetividade, sem tranqüilidade, sem jogadas, sem matador, sem raça, sem pontaria, sem nada. Um time que perde em casa, pra um adversário que também não tinha nada demais. Um time que não empolga e não engrena.

“Jogando com um (ou dois) a mais o Bahia não faz gol. Dá até medo quando um adversário é expulso...” Foi essa mesma frase que usei no texto do empate em casa contra o Ipatinga, mas ela continua mais atual do que nunca, já é a 4ª ou 5ª vez que acontece isso no campeonato. Ainda brinquei com Cássio hoje que fiquei preocupado com a expulsão, mas não é que aconteceu de novo? A superioridade numérica que o time tem em campo nunca se mostra benéfica! Penso até que poderíamos entrar com um a menos nos jogos ou quando o adversário tiver um expulso, provocarmos uma expulsão pra igualar as coisas.

Deixando a brincadeira um pouco de lado, esse Bahia bizarro não sobe. A única coisa que sobe no time é a folha de pagamento, mas mesmo com seu elenco de 800 mil reais tem jogador ali que não vale 1 real de Big Big. Agora estamos até mais perto do rebaixamento do que do G4 (mas também não acho que caia).

Os 5 pontos perdidos em casa (Ipatinga e Figueirense) farão muita falta, com eles estaríamos hoje em 4º. O que não vai fazer falta é o treinador. Sei que não foi Gallo quem deu a braga no lance do gol sofrido aos 48 minutos. Sei também que não foi Gallo quem perdeu o pênalti aos 5 minutos do 2º tempo (se Reinaldo fizesse o time virava. Acho...), mas eu não vejo clima para o cara ficar, não está dando nada certo e o time não pode se dar a esse luxo de viver de experiências. O campeonato já esta aí, rolando na 9ª rodada, já era pro time ter se acertado, mas não é isso que nós vemos.

Eu nem liguei em ter perdido o Baiano ou a Copa do Brasil, mas tudo isso foi por que depositava minhas maiores esperanças na subida a série A, que vejo cada vez mais distante. Não sei se é incompetência, azar, cabeça de burro (ou de carneiro), mas sei que nada está dando certo nesse torneio. Se eu fosse o próprio Gallo pediria pra sair. Amigo, vá cantar em outro terreiro. Já tem bicho demais nesse Fazendão (no calor do momento posso estar errado, assim como você também pode).


P.s: apesar de ter visto ao vivo a 1ª derrota do Bahia este ano, nem tudo foi ruim em Pituaço hoje. Conheci Fábio Kabong, sua namorada e mais uma galera amiga dele, além dos amigos de Cássio também. Deu pra comer uma água de leve e tomar um sol na cara por causa de seu Casseta, que quis ficar ao lado dos 15 torcedores do Figueirense (“Pode xingar aqui não, porra!”). Também matei a saudade do clima de estádio, depois de mais de 2 meses na seca (só não é uma seca maior do que a de artilheiro que nós todos temos).

P.s 2: acho uma puta sacanagem o lance dos ingressos que rolou nesse jogo. Paguei 30 conto pra ver uma merda de jogo. Futebol não pode ser um esporte tão elitizado. Além do mais, fica essa briga entre Bahia (BWA = Ingresso “Fácil”) contra Sudesb (Outplan = Futebol Card) que só quem sai perdendo é o torcedor. Por lei, parece que o Bahia tem razão, mas será que isso vai refletir no nosso conforto ou custo? Se depender da venda pela internet a resposta é NÃO! Repito: coloca inteira de R$ 20, meia de 10 e criança de 5 (fazendo antes um cadastro pra criança e meia).

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Givova? Mas pode chamar de GivUva!

Essa semana os novos uniformes da grife italiana Lotto dominaram o assunto aqui no BBMP, por causa disso, acabei fazendo umas pesquisas sobre o assunto e acabei achando uma notícia sobre o vice.

É que ele romperam o contrato com a porcaria da Champs (vulgo Chumps, que é de uvis) e agora vão assinar com a "famosa" Givova, que carinhosamente resolvi apelidar de GivUVA.

Sabem como é, né? Baiano adora um apelido e achei que seria uma boa homenagem ao todo poderoso vicetória, pelo seu título mais famoso...

Engraçado é que a Givulva NUNCA patrocinou um time de futebol. Ou seja, ao patrocinar uvice eles vão continuar mantendo essa escrita. ;-)

Seja bem-vinda, GivUva, Givulva, Givovó Vitória (ou qualquer outra variação que surgir)! Nosso "rival", que sempre foi uma piada pronta, merece.


P.s: se tiverem alguma sugestão extra é só colocar nos comentários.

P.s 2: vale a pena dar uma lida nos comentários desse forum do UOL:
http://forum.jogos.uol.com.br/Vitoria-pode-fechar-com-novo-fornecedor_t_297375

P.s 3: segundo matéria do jornal A Tarde "a empresa será responsável pelo fornecimento de um enxoval de 19 mil peças rubro-negras".

P.s 4: Givova, il vice è merda!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Novos uniformes do Bahia (Lotto 2009)

Agora com fotos mais detalhadas da Casa do Tricolor. Estarão à venda lá em 15 dias.

Branca:



Tricolor:


Goleiro preta:



Goleiro branca:



Treino:



Sugestão que dei, com aplicação do Bora Bahêa (arte de Tarcio):



A semana promete...

Fala, cambada! Literalmente vocês me tiram o sono. É que são quase 2h da madruga e só agora vou ter tempo de começar a fazer o texto sobre o evento. Mas já postei várias fotos no post abaixo, acho melhor até vocês darem uma olhada lá antes, depois voltem aqui que tem mais novidades.

Pra começo de conversa quase não fui ao evento. É que tou gripado (espero que não seja a tal da gripe suína... hehe) e quando fui pegar minha camisa na sede de praia não tinha mais ninguém entregando. Graças à insistência de Rodrigo (valeu mesmo, cara!) consegui pegar a camisa depois com Jaime.

Mais uma vez o evento foi bem feito, tudo tava arrumadinho, as recepcionistas eram show de bola (exceto pelo escudo monstrengo que estampavam no decote, mas não sei por que, desta vez fiquei hipnotizado por ele e não conseguia tirar o olho), já as comidas e bebidas nem pude usufruir direito, levei a droga do notebook pra lá (valeu, irmão! Você e suas tecnologias sempre colaborando com o BBMP), achei uma tomada e tome-lhe atualizações via wi-fi do Iguatemi (que só funcionava na praça de alimentação e me fazia subir e descer as escadas que nem um maluco).



Ainda na área de espera do Multiplex, fiquei de papo com Ivan Andrade, lá da TV Bahia. Cara tranqüilo, sem nenhum estrelismo, disse que de vez em quando lê o Bahêaminhaporra. Depois disso quem deu as caras foi Daniel Alves, que tirou foto com Cássio (devem ter conversado também sobre como é desgastante viajar da África até o Brasil, só pra ir neste evento... Eu bem sei). Daniel causou um alvoroço, só ofuscado por Binha que começou a gritar quando viu nosso antigo lateral direito. Também estavam lá os ex-goleiros Ronaldo Passos e Emerson e os cantores Margareth Menezes, Ricardo Chaves e Tomate.

Numa das descidas com o note de Paulo Carneiro (meu irmão) encontramos com Paulo Carneiro do Bahia. PC chegou atrasado e perguntou a PC, que estava com o PC na mão, onde era o evento. Indicamos o local e eu agradeci por não ter mais nenhum PC na história.

Os últimos serão os primeiros

Mesmo entrando na sala de cinema por último, junto com Paulo Carneiro, acabamos sentando na 1ª fila. Eu, PC e Emerson. Na 2ª fila os jogadores do Bahia. Sentar ao lado de PC foi bom, por que ele revelou que Ramon não vem. Não sei se foi pra disfarçar, mas acho que não vem mesmo. Virão sim um meio campo e um zagueiro. Ah, por falar em coisas boas, tinham umas guloseimas, além de água em cada poltrona. Decênio!

Antes de começar, alguém colocou o hino do Bahêa pra tocar no celular e todo mundo cantou. Por falar em reações espontâneas, mas adiante, perto do final, Gallo foi aplaudido, nem esperava essa reação, nota-se que ele ainda tem moral com parte da torcida.



A apresentação começou com o ator de teatro Narcival Rubens no papel de um torcedor fanático do Bahêa, ele será o protagonista da peça “A Voz do Campeão”. Achei interessante e será a 1ª peça de teatro sobre um time de futebol do país. Além disso, será lançado também um filme no cinema sobre o maior time do Norte/Nordeste do Brasil, o nome é “Bahia Minha Vida” e já foi dado o start. Na saída conversei com um dos cineastas, Marcio Cavalcanti, que também acessa o Bahêaminhaporra! Tou com o cartão dele aqui e vamos dar um apoio no que os caras precisarem pra esse filme ficar um filmAÇO! Contamos com a sua ajuda também, depois explico.

Depois disso MGF (quantas siglas no Bahia, acho que agora vou virar MC...) falou sobre o novo Bora Bâhea, que dará direito a voto, prioridade e descontos na compra de ingressos e várias outras regalias. Achei uma ótima mudança! Espero que tenha uma opção também pra quem more fora e queira ajudar o tricolor, nos moldes que o Inter/RS tem. A partir da semana que vem, provavelmente na segunda, já começa a campanha para associação em massa, legal o comercial que fizeram. E eu acho que se você tiver condições, é praticamente uma obrigação sua participar, para ajudar ao clube a crescer e chegar aos 10, 20, 30 mil sócios-torcedores. Vamos tirar a bunda da cadeira e ajudar de verdade a nossa paixão!

Depois de Marcelinho foi a vez de uma gost... digo, uma representante da Roxos & Doentes falar sobre a nova loja física do Bahia, na Av. Manoel Dias (eu te disse! Eu te disse!). Terão 125 m² e uma coisa que me chamou a atenção foi a personalização de camisas. Ou seja, você compra sua camisa oficial do Bahia e escolhe o número e o nome que quer colocar. A minha vai ter “Marcos 3” (Marcos é meu nome e 3 é a hora agora, tou lascado em banda e ainda nem comi). Curti a loja, só que achei a marca e o nome pobres, os novos produtos do clube são Bora Bahêa, Bahêa VIP, TV Bahêa e Alô Bahêa, não entendi por que a loja é “Viva! Bahia!”, escrito com “i”. Ainda dá tempo de mudar isso aí, já que a inauguração está prevista pra Agosto, por uma questão de criar unidade. Além do mais nosso blog é Bahêa minha porra...



Antes que eu esqueça, a TV Bahêa transmitiu o evento ao vivo. Bola dentro (lá ele)! E o Alô Bahêa já está valendo, inclusive com uma promoção que vale uma das novas camisas oficiais.

Mais novos uniformes do tricolor de aço

Depois da loja, foi a vez do representante da Lotto apresentar os novos uniformes. Na verdade foi apresentado toda uma linha da marca tendo o tricolor como tema. Achei a linha casual linda, a masculina e a feminina deram show. Tinha até vestido pra mulherada, coisa fashion mesmo, pra ir pro shopping, pra balada. Camisas criativas também, como a que tem o mapa o Brasil com o escudo do Bahia onde seria o estado (vejam tudo isso no post anterior). As de goleiro e as de treino também mantiveram o nível da coleção passada. Só senti falta da linha retro, vi que tem um link na loja virtual, mas não tocaram no assunto. Do bar temático também ninguém falou.

Sobre os uniformes:

Achei o padrão 1 (branco) está bem clean, algo que vem s repetindo nos últimos anos. De diferente só a marca da Lotto bem em cima, no ombro e uma linhazinha azul bem discreta na manga.

Já o padrão 2 (tricolor) mais uma vez perdeu as listras brancas entre as azuis e vermelhas. Ambos os padrões mudaram a fonte dos números e as golas, sendo que a da tricolor está assimétrica em relação às cores, uma solução moderna. Achei interessante, mas ainda é algo pra se acostumar, pois em relação ao uniforme eu gosto de algo mais tradicional, com listras nas 3 cores.

Mas essas mudanças são válidas, o que não acho válido é a aplicação da marca da Vedacit sempre em amarelo, sem querer reclamar do patrocinador, mas poderiam usar uma cor mais neutra. Falando nesse tema, nada de patrocínio master na camisa. Se eu fosse o Bahia poria a marca de Irmã Dulce, Aristides Maltez ou do Bora Bahêa, ao menos provisoriamente.

Acho que quem mais se empolgou com a nova linha da Lotto foi Paulo Carneiro, rasgou elogios e ainda vestiu o novo manto tricolor aos gritos de "ô, ô, ô, Carneirão é tricolor!". Falando em mudança de idéia, MGF falou confirmou que o novo escudo terá um uso alternativo, mesmo tendo dominado toda a comunicação do evento. Pra ser sincero eu acho que se não houvesse a pressão em torno deste tema ele não falaria isso. Acho que o escudo tradicional deve dominar novamente no novo site, mas ainda bem que as novas camisas não vieram com aquela bizarrice.


E dizem que listras verticais emagrece...



Mais uma vez o Bahia fez um evento muito bom, parabéns! A gente sabe a hora de escaldar e de elogiar. Depois do evento muito bom, só falta o elenco muito bom...

Vocês poderão ver os novos padrões em campo já no jogo de sábado, contra o Figueirense. Eu estarei colado e convoco a nação tricolor pra apoiar o time dentro e fora de campo. O Bahia precisa muito subir esse ano e com certeza essa missão será bem mais fácil se você estiver apoiando nossa paixão!

Bora Baêa, minha porra! Vamos subir esquadrão!


P.s: despeço-me aqui, não me liguem amanhã cedo, são 4h! Depois posto fotos ou coisas que me lembrar. Novamente deu um trabalhão trazer a cobertura completa pra todos vocês em 1a mão, mas espero que tenha válido a pena! ST! Embala, Bahêa!

terça-feira, 30 de junho de 2009

A noite promete...

Confira abaixo cobertura que rolou ao vivo com fotos e aguardem o texto completo com comentários e detalhes sobre o evento.

ST


É, galera, o BBMP já está no evento, segue a melhor foto, até agora:


Gatas da recepção.

Aguardem novidades, mas estamos com problemas de bateria. Mesmo assim faremos o possível pra postar tudo em primeira mão.

As meninas acima são gatinhas, mas o escudo...

O local já está bastante cheio e barulhento. Acabei de comer um salgado de camarão. Não vou nem molhar o bico hoje, tou resfriado. Logo hoje que tá rolando o Black Label.

Acabou de chegar aqui um dos jogadores do Bahia mais bem sucedidos da história: Daniel Alves, abaixo foto dele com Binha e Cássio! hehehe


Daniel e Binha.


Cássio e Daniel, ambos acabaram de chegar da África para o evento tricolor.

Fala, bando de sacanas!!! Pra variar o BBMP tá bombando! Até piorou pra acessar o site. Só que fico aqui me lascando sem beber nem comer e vocês aí no sofá... Bom, mas como gosto da torcida tricolor, vamos deixar de reclamação, quem chegou aqui também foi Margareth Menezes e Ricardo Chaves, mas a maior estrela do evento está na foto abaixo:


Chupem vices!

Acabei de falar com Paulo Carneiro. Todo azoado, chegou atrasado e nem sabia onde era o evento. hehehehe O BBMP não deixa passar nada.

----------------------------------------------------------------

BBMP com moral. Sentei na primeira fila ao lado de Paulo Carneiro e do ídolo Emerson. Com direito a guloseimas tricolores.

P.s: PC avisou aqui no pé do ouvido: Ramon não vem.

----------------------------------------------------------------

Campanha associação em massa na TV a partir de segunda-feira, acabou de passar o comercial.

Loja oficial com 125 m², como eu havia antecipado no post anterior, será mesmo na Av. Manoel Dias, com venda de camisa personalizada (você pode escolher o nome e o número que você quiser para estampar na camisa oficial do Bahia). Massa isso!

Vai rolar também uma peça teatral ("A voz do campeão") e um filme ("Bahia minha vida") sobre o Esporte Clube Bahia.

----------------------------------------------------------------

Seguem fotos da nova coleção da Lotto pro Bahia, em 1a mão aqui no BBMP:


Camisa feminina casual, tem o escudo no peito.


Novo agasalho.


Nova camisa branca.


Nova camisa branca.


A mulherada pirou com o vestido (e eu com a modelo)...


Nova tricolor.


Hélton Luiz com o novo padrão tricolor do Bahia.



Camisa goleiro cinza.


Camisa com mapa do Brasil, onde no lugar de Salvador tem o escudo do Bahia.


Verso do uniforme tricolor.


Verde limão de treino
.


Vermelha casual, show de bola.


Quase toda a coleção, incluindo a preta, do goleiro. Clique para ampliar.

Farsa democracia

Depois de toda a polêmica envolvendo o escudo, a assessoria do Bahia mexeu no texto dos SÍMBOLOS que havia no site. Até ontem tinha só o tal "escudo novo" e a 1a frase do release abaixo. Agora acrescentaram o escudo antigo (pra disfarçar,. já que a pressão foi grande) e o resto do texto que vocês podem ler a seguir (grifos meus):


"Escudo - Principal elemento gráfico de identificação da marca do Bahia. É o símbolo mais tradicional do Clube. Formado pelas cores azul, vermelha e branca, relacionadas as da bandeira do Estado da Bahia. Foi criado em 1931, inspirado no distintivo do Corinthians/SP.

O Estatuto do Esporte Clube Bahia, em seu Artigo 8, letra b), define o escudo do clube como: “O escudo tem a forma de um círculo, com margens azul e branca, uma borda externa na cor azul, na qual consta o nome do Clube e o ano de fundação, e no centro a bandeira do Esporte Clube Bahia, podendo acima do escudo ser colocadas estrelas ou outros símbolos que representem títulos conquistados pelo Clube”.

Recentemente, após pesquisa entre diversos grupos de torcedores, e de modo incorporar novos conceitos e elementos de modernidade, foi concebida uma versão alternativa para o escudo, criando assim uma nova versão para este tradicional e importante símbolo do clube, não significando com isto que a versão original será descontinuada ou deixará de ser aplicada.

Dentre outras, vale ressaltar as seguintes mudanças:

1. O bandeira que havia dentro da bandeira do clube foi substituída pelo símbolo existente na bandeira do Estado da Bahia, pois o mesmo não apresentava definição gráfica quando aplicado em menor escala (vide escudo da camisa oficial). Além disto, a representação da bandeira do estado da Bahia dentro do símbolo maior do clube, reforça ainda mais a relação do Estado da Bahia com o seu principal e mais importante clube de futebol;


2. As esferas que haviam na parte inferior do escudo foram substituídas por 2 estrelas. Desta forma, os 2 Campeonatos Brasileiros conquistados estarão sempre representados, pois em diversas ocasiões as estrelas não são colocadas na parte superior do escudo, principalmente em publicações em veículos de comunicação fora do Estado da Bahia;


3. A bandeira apresenta a uma ondulação (vibração) um pouco mais acentuada, em referência a estrofe do hino “Ninguém nos vence em vibração”;


4. O mastro foi retirado por razões de aplicação gráfica."



Agora pergunto eu. Algum dos milhares de leitores do Baheaminhaporra foi ouvido sobre esse assunto? Pois, segundo o texto acima, foi feita uma pesquisa com diversos grupos de torcedores. Torcedores de que time foram ouvidos? Foi feita alguma pesquisa em Pituaço? Ou enquete no site oficial (como já fizeram uma vez, na administração de Petrônio, pra escolha do 3o uniforme)? Nenhum torcedor tricolor que eu conheço foi ouvido. E olhe que não conheço poucos. Que farsa é essa de pesquisa?

E mais, querendo justificar a mudança colocaram um trecho do estatuto falando sobre o escudo, mas claramente serve para barrar as pretensões de mudanças que foram feitas. É só saber interpretar. Entre outras coisas diz o seguinte: que no centro deve ter a bandeira do Esporte Clube Bahia e não a bandeira da Bahia. A bandeira dO Bahia tem uma bandeira dentro da outra. PONTO. Não me venham com esse papinho de "aplicação em menor escala" que não cola, pois em todas as camisas oficiais que tenho tem uma bandeira dentro da outra. Eu não sou torcedor da Bahia, sou torcedor do BAHÊA!

No estatuto diz também que acima do escudo podem ser colocadas estrelas. ACIMA!!! E não dentro. Eu não quero estrela nenhuma dentro de escudo. Eu quero novas estrelas FORA do escudo. Estrelas devem ser móveis e não fixas, isso é pensar pequeno.

Portanto, tudo foi feito errado. Tirar o mastro da bandeira ou renovar um pouco a fonte e alguns detalhes seria até válido. Até deixar a bandeira ondulada pra cima seria interessante (como Fábio fez no post abaixo) . Só que as mudanças foram feitas sem ouvir quem realmente importa, que é o torcedor do Bahia. Além do mais, tem uma agravante seríssimo nessa história toda, que já justificaria toda a revolta da torcida tricolor: está HORRÍVEL! Simples assim. Ficou feio de dar dó. A bandeira derretida e chorona está BIZONHA! Bola fora total, passando bem longe do gol.

Ao invés dessas desculpas esfarrapadas, acho melhor admitir o erro, que fica menos feio. E DEVOLVAM MEU ESCUDO!!!!!!!!!

Leia aqui também texto de Jorge Freire do ECBahia, nosso site parceiro.

P.s: seguem abaixo possíveis inspirações que usaram pra fazer o novo escudo do Bahia.



Update: hoje vai rolar o novo evento do Bahia. O BBMP provavelmente vai estar lá pra contar as novidades pra vocês. Posso adiantar coisas como os novos uniformes de jogo (R$ 140) e a esperada linha retrô; nova loja física (na Av. Manoel Dias?) e virtual em parceria com a Roxos e Doentes; novo mascote; novos produtos e serviços (TV Bahêa e Alô Bahêa); bar temático; projeto de associação em massa; etc.

Muitas dessas coisas já eram esperadas desde o 1o evento de marketing que cobrimos no começo do ano (veja aqui), algumas delas até estouraram o prazo. vamos ver se agora saem. O novo escudo foi um verdadeiro gol contra, mas quem sabe ainda dá pra virar esse jogo...